4 de jan de 2013

Shadow of The Colossus




Venha a mim, minha presa!
Shadow of The Colossus foi um jogo lançado em 2005, um jogo especial, cujo ganhou muita repercussão na comunidade gamer, ele até foi relançado para PS3 alguns anos depois. Ele foi um dos jogos mais elogiados e premiados do console, e nessa review eu vou mostar o porque disso. Shadow of the Colossus conta a história de um jovem chamado Wander, que viaja junto de seu cavalo Agro para uma terra proibida em busca de um meio de reviver a garota Mono, que foi sacrificada por razões desconhecidas.
Ele viaja até um lugar chamado Shrine of Worship, no centro das terras proibidas, Wander carrega consigo a Ancient Sword, e isso chama a atenção de uma entidade das sombras chamada Dormin, Dormin relata que quem possui a espada poderia desafiar a lei dos mortais, e assim ele poderia reviver mono, mas para isso, Dormin avisa que Wander deve destruir 16 ídolos de pedra, que na verdade são representações dos 16 Colossi, criaturas gigantes feitas de pedra que residem nas terras proíbidas. Para destruir cada ídolo, Wander deve matar o Colossi respectivo ao ídolo, e assim seria possível reviver Mono. Enfim, uma história simples, que acaba lembrando uma dessas histórias genéricas de salvar garotas, mas Shadow of the Colossus é um jogo que acaba sendo difícil de falar sobre, especialmente por que se eu for contar a história toda, eu acabarei soltando um monte de spoilers aqui, o que eu não gostaria de fazer. Então, os 16 Colossi residem nas Terras Proíbidas, que são como um Hub World enorme, enorme mesmo. Cada Colossi está em um lugar diferente. Mas para achar eles, você deve utilizar a espada de Wander, que reflete a luz, formando um raio na direção de onde ele deve ir. Muitas vezes o lugar é longe demais, e você deve utilizar o cavalo Agro. Wander pode utilizar sua espada para atacar, e seu arco que tem flechas infinitas por razões desconhecidas. A terra proibida é onde se passam todos os acontecimentos do jogo. É o que parece ser uma ilha enorme, cheia de lugares diferentes, como montanhas, lagos, penhascos e templos. Não se sabe se ela já foi povoada, mas muitos sinais indicam que algumas coisas nela foram modificadas ou criadas por pessoas. A terra proibida age como um Hub World para o jogo, e é grande o suficiente para separar 16 Colossis
A terra proibida é composta por paisagens muito bonitas
em arenas e lugares diferentes. Muitos lugares são inacessíveis e estão lá apenas para detalhar mais o lugar, isso é uma pena por que o as terras proíbidas são enormes e muitos lugares parecem vazios demais, isso deve ser por causa dos Colossi que foram removidos do jogo. Outros lugares são inacessíveis com Agro, nos quais Wander deve prosseguir sozinho para encontrar alguns Colossi. A Terra Proibida tem um mapa que pode ser acessado apertando START, ele divide a terra em quadrantes, que vão de A-J até 1-8, ao total a terra é dividida em 64 quadrantes, mas nem todos deles são acessíveis a não ser por hacking ou bugs. O jogo não tem nenhum tipo de tutorial enorme. Você apenas aprende os básicos via mensagens na tela. Primeiramente, é possível modificar os controles do jogo do jeito que você quiser, isso é até bom por que inicialmente o botão de "pulo" é o triângulo, e isso pode confundir alguns jogadores que estão acostumados demais a usar o X para pular ou pode facilitar a vida de jogadores que tem alguns botões do controle quebrados. O gameplay do jogo tem seções de platforming ou de escalada, mas na maior parte do tempo você estará cavalgando em cima do Agro enquanto segue a luz da espada. Muitas vezes você tem que usar o R1 para se segurar diversos objetos e se mover por eles ou subir. O botão R1 é usado principalmente durante as lutas contra os Colossi, já que Wander é capaz de se segurar nos pêlos deles. O circulo de Stamina é um elemento importante no jogo, que determina o quanto Wander pode manter-se segurando em algo. O Circulo vai diminuindo com o tempo, e se ele acabar, você cai. Mas é fácil encher ele de volta. É só achar um lugar para "descansar"; Uma forma de aumentar Stamina, é caçando os lagartos de cauda branca, acertando um com uma flecha, Wander pode "absorver" a energia da cauda deles e aumentar a Stamina total. A Stamina também aumenta a cada Colossi morto e ela pode continuar aumentando com Playtroughts subsequentes, podendo chegar a tamanhos absurdos. A barra de life, como você já deve esperar, diminui com ataques, ou se o Wander cair de um lugar muito alto. O life também pode ser aumentado atirando flechas nas frutas das árvores. Que podem ser consumidas para aumentar a barra de life. Que também pode chegar a tamanhos enormes com gameplays subsequentes. No final das contas, o gameplay até simples... é simples o suficiente para
Esse aí é só o terceiro.
qualquer jogador aprender, mas ainda não chegamos no coração do jogo...as batalhas contra os Colossi. Como dito antes, são 16 ao total, cada um deles tem formas diferentes, alguns são humanóides, outros quadrúpedes, outros aquáticos e outros até voadores. As batalhas contra eles começam sendo facéis de manjar: Procure um lugar com pêlo e escale, và até o ponto fraco do Colossi, que é um símbolo brilhante, e perfure-o com a espada até ele morrer. É mais ou menos assim que começa, mas ao decorrer do jogo, o elemento Puzzle começa a aparecer e você tem que pensar em formas de subir primeiro no Colossi, e cada batalha é incrível, a AI dos Colossi funciona perfeitamente, é difícil ver algum bug no comportamento deles. E você provavelmente sempre ficará curioso para ver como é o próximo Colossi se é a sua primeira vez jogando. Não há inimigos normais, apenas os gigantes Colossi lutam contra você no jogo. Agora, deixando o gameplay de lado temos os gráficos do jogo. As Forbidden Lands provavelmente são alguns dos lugares mais bem detalhados e bonitos da história dos video-games. As texturas são muito bem detalhadas, os efeitos de iluminação são impecáveis e as paisagens são belíssimas. Desde montanhas, cachoeiras, penhascos e desertos. Destaque para uma área da floresta onde a iluminação passa apenas entre as folhas das árvores, causando um efeito gráfico simples mas bacana que deixa tudo bem mais realista. Outra coisa bem detalhada são os Colossi. A aparência de todos eles é muito bem feita, o Colossi número 6 tem até uma barba! As animações do jogo também são algumas das melhores do console, desde o Wander correndo até o Colossi número 5 batendo as asas, todas são bem fluídas e raramente pecam. Infelizmente toda essa beleza nos gráficos muitas vezes causa quedas de framerate que atrapalham um pouco. A trilha sonora do jogo também é incrível, as composições são totalmente orquestradas, nenhuma guitarra/bateria ou instrumento "moderno" está no meio dessas composições, a orquestra faz um ótimo trabalho em todas as músicas, e elas conseguem deixar as batalhas ainda mais épicas, pois não são enjoativas, os efeitos sonoros também são bem feitos, desde o barulho das pisadas dos Colossi até o Agro cavalgando.

Veredito
Shadow of the Colossus é um dos melhores jogos do Playstation 2, apesar de ser um pouco curto, ele consegue fazer um ótimo trabalho em todos os aspectos - Gameplay, Gráficos e Sons - e ainda tem um pouco de fator replay com o Time Attack e o Hard Mode que eu não mencionei nesta review mas são auto-explicatórios. É difícil achar alguma falha no jogo, no geral é um jogo que merece todo o crédito que os críticos dão pra ele.

Gráficos
Alguns dos melhores já apresentados pelo console, texturas ótimas, animações impecáveis e outros detalhes que não deixam a desejar. Infelizmente o framerate diminui a beleza do jogo.

Jogabilidade
 Jogabilidade muito boa e controles facéis de aprender, destaque para as batalhas contra os Colossi.
 
 Sons
 Uma das melhores OST's de todos os tempos, os efeitos sonoros fazem o seu trabalho.
 
 Diversão
O ponto alto da jogabilidade são as lutas que provavelmente divertem qualquer um.

Nota Final
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário